Como medir os resultados do seu e-learning

Você já deve ter visto aqui no blog todas as etapas do Modelo ADDIE – Análise, Design, Desenvolvimento, Implementação e Avaliação, sim? Hoje quero conversar com você sobre a Avaliação, a etapa mais negligenciada do modelo ☹

Em geral, depois que se implementa um projeto, entra um novo projeto e uma nova urgência… e lá se foi o tempo para avaliar os resultados do treinamento entregue.

Uma pesquisa de 2015 aponta que apenas 16% dos profissionais de treinamento investem esforço nessa avaliação enquanto 56% afirmam gastar algum tempo nesse tema.

Em tempos de orçamento enxuto é imperativo que se dê valor à Avaliação de resultados de uma solução implementada e, no post de hoje, veremos que isso está além do gostei/não gostei do curso ou de quanto custou desenvolver o curso.

Porque é importante avaliar

Para justificar o investimento – não só de dinheiro, mas também de energia e tempo da equipe envolvida.

Para justificar o orçamento da área de treinamento on-line perante os investidores.

Para garantir que a solução alcançou os objetivos de aprendizagem e de desempenho esperados.

Para aprender com as falhas e ser cada vez mais assertivo nas próximas soluções.

Para detectar outras necessidades de treinamento.

Para justificar contratações ou a permanência de todos na equipe.

Como avaliar a eficácia do seu curso on-line

O Modelo de Avaliação mais utilizado é o do Donald Kirkpatrick, que propõe 4 etapas de avaliação:

  1. Reação
  2. Conhecimento
  3. Transferência
  4. Resultados (ROI)
Avaliação de Reação - learnSPACE

Nesse primeiro nível de avaliação vamos detectar a percepção do aluno ao longo de sua experiência de aprendizagem. O objetivo é saber se o curso foi agradável, se veio no momento certo, se foi relevante, se o aluno aprendeu algo novo.

Geralmente essa avaliação – de reação ou de satisfação – fica no LMS e o aluno responde ao final do curso, de preferência antes da prova.

– quer saber porque? Comenta ali embaixo #ReacaoAntesDaProva –

É um questionário simples, o mais curto possível, de preenchimento obrigatório ou não e que seja fácil de tabular.

Mas sugiro que você inclua uma pergunta aberta para que o aluno possa se expressar e deixar seu comentário, caso deseje. Ter essa pergunta vai te prover depoimento dos alunos que podem te ajudar a promover o curso em ações da Comunicação Interna.

É a Avaliação Somativa, aquela que mostra o ganho de conhecimento que o aluno alcançou no curso, o que ele aprendeu.

Um curso sem Avaliação de Conhecimento é um informativo apenas.

Você pode fazer um pré-teste e depois uma avaliação pós-curso e comparar os resultados de antes e depois para comprovar a efetividade do treinamento em relação ao objetivo de aprendizagem proposto lá no Levantamento de Necessidades de Treinamento.

Nesse nível o que se observa é a aplicação do que foi aprendido no curso no posto de trabalho do aluno. Isso acontece por meio de observação mesmo: um instrutor ou o próprio gestor, com um checklist, avalia a atuação do aluno após a conclusão do curso e mede seu desempenho, analisando os indicadores – de atendimento, por exemplo.

Conhecida como ROI – Return of Investment é, basicamente, a avaliação do retorno no dinheiro gasto. Essa é a parte fácil.

Mas um ROI completo prevê não só o investimento feito para desenvolver o curso, mas também, principalmente no caso de cursos on-line, o valor que deixou de ser gasto em transporte, acomodação, alimentação etc.

Por exemplo: se um curso presencial custa para a empresa R$200* por aluno, considerando o valor da hora-aula do instrutor, material impresso, locomoção dos alunos, aluguel de sala e equipamentos ou custos de infraestrutura em geral e coffee break, ao convertê-lo para o on-line podemos ter um investimento de R$50* por aluno, considerando custo do LMS, desenvolvimento do curso, hora-homem do designer instrucional.

Fazendo um cálculo simples temos um ROI de R$150 por aluno ou 75% (50/200 – 1).

O difícil é ter todas essas informações de custos… então muitas vezes esse cálculo não representa a realidade de verdade.

* valores absolutamente fictícios

Bom, você chegou até aqui, então me diga: até onde sua empresa chega nos níveis de avaliação? Ou se você ainda não atua na área, qual seu palpite?

Assim que alcançarmos 7 comentários eu conto pra vocês o que geralmente ocorre e por quê 😉


Gostou desse post? Deixe seu comentário e lembre-se de se inscrever para receber a newsletter do blog e não perder nenhum conteúdo!

2 Comentários


  1. Oi Soani!

    Muito bom o post, meu palpite é que muitas empresas param na Avaliação de Conhecimento.
    Talvez por falta de ferramenta e disponibilidade dos gestores,.a Avaliação de Transparência fica fora do processo.
    Acredito também que esta avaliação deva ter um “prazo de validade” e ser reaplicada para identificar a periodicidade que o conteúdo aprendido esteja sendo colocado em prática na rotina do colaborador.

    Responder

    1. Perfeito, Ale! É isso mesmo!
      Medir e gerenciar resultados não é tarefa fácil, exige empenho… mas vale super a pena e reafirma o valor da área de treinamento.
      Bjs e obrigada por comentar 😉

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *