Designer Instrucional, quem é você e o que faz?

O nome pode parecer estranho, pouca gente conhece, vão confundir… mas não é nenhum bicho de sete cabeças.

O Designer Instrucional, o DI, é o profissional que identifica um problema de aprendizagem ou gap de conhecimento e desenha (no sentido de projetar) uma solução, ou seja, propõe uma ação de treinamento estruturada.

Também pode atender pelo nome de Designer educacional, Desenhista instrucional e, mais recentemente, Designer de experiência de aprendizagem. Na minha opinião, cada um destes títulos traz uma responsabilidade diferente, mas o mercado põe tudo no mesmo saco. Por aqui, vamos chamar de Designer Instrucional, tudo bem?

Tarefas do dia a dia… mas sem rotina!

Existe uma instituição norte americana, chamada IBSTPI – International treinamento Board of Standards for Training Performance and Instruction, que estuda e publica as competências dos profissionais de treinamento, inclusive as nossas. Esse comitê separa as competências do DI em básicas e avançadas.

Por enquanto, vou listar algumas das competências básicas bem presentes no cotidiano de nossas ações:

  • Comunicar-se de forma eficaz de acordo com o contexto

Escrever um texto para um treinamento para a Liderança é diferente de escrever para um público terceirizado, por exemplo.

  • Conduzir reuniões de levantamento de necessidades de treinamento

Identificar problemas de aprendizagem, conhecer as principais características da população que será impactada pelo curso e entender o porquê dos problemas observados utilizando ferramentas e técnicas apropriadas.

  • Desenhar soluções de treinamento atraentes

Analisar conteúdo, definir abordagem, elaborar roteiro e defender o projeto.

  • Definir estratégias de abordagem ou metodologias mais adequadas a um treinamento e seu público

Para isso é preciso estar atento ao que acontece de novo, às tendências em tecnologia e educação.

  • Ser o ponto focal do desenvolvimento do curso

O DI geralmente é o elo entre os diferentes atores envolvidos no projeto: conteudista, fornecedor, programação, ilustração, validadores…

Cada uma dessas competências será exigida em menor ou maior complexidade de acordo com o grade do profissional, se Junior, Pleno ou Sênior. Então se você vai iniciar na carreira agora, não se assuste… as coisas acontecem aos poucos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *