Modelo ADDIE: Desenvolvimento da solução

Agora que você já sabe o quê (Análise) e como (Design), é hora de partir para a ação!

Nesta fase, se o desenvolvimento do curso for interno, o Designer Instrucional vai dar à vida ao roteiro utilizando ferramentas de autoria; se o desenvolvimento for externo, o DI vai coordenar o processo junto ao fornecedor.

Os objetivos desta etapa são:

– desenvolver o curso;

– aplicar Qualidade Final;

– testar o curso em turmas-pilotos, se previsto.

Desenvolvimento

Tenha em consideração os seguintes aspectos:

interação do aluno com o curso

Procure oferecer algo além dos botões Avançar/Voltar

orientação de navegação

É trabalho do DI garantir que o aluno navegue no curso da forma mais fluida possível e, claro, quanto mais intuitiva for a navegação, melhor.

No Design, quando você criou e validou roteiro, pode ter passado em branco algum link entre telas ou algum outro detalhe – principalmente se o curso for longo; agora, no Desenvolvimento você tem a chance de resolver tudo isso.

Qualidade Final

O Quality Assurance, além de garantir que o curso passe pela revisão ortográfica, também tem a missão de navegar pelo curso com o olhar do aluno, garantindo que todas as interações estejam funcionando.

Esse apoio do QA é superimportante para nós, DIs, por que nosso olhar acaba ficando viciado e alguns erros passam sem a gente perceber.

Depois do curso produzido e revisado, o cliente deve fazer a validação final… esse momento deveria ser apenas para o cliente conhecer a forma final do curso, não deveria haver ajuste aqui, maaaaas não é assim que acontece na vida real: sempre tem um ajustezinho 😱

Turma-piloto

É comum, mas não obrigatório, que o curso passe por uma fase de teste. Se isso acontecer, é aqui do Desenvolvimento que isso acontece.

Esse piloto pode dar insumos para alguns ajustes no curso, na comunicação, verificar se os objetivos do curso são alcançados, enfim, no processo como um todo.

No Design Thinking, isso é chamado de Prototipação.

O tamanho da equipe alocada nessa fase do processo depende do nível de complexidade do projeto, quanto mais elementos envolvidos na estratégia (storytelling, ilustração, realidade virtual, materiais de apoio, fotografia, filmagem etc) mais profissionais serão necessários.

 

Nesta fase de validação do trabalho, é interessante ter um checklist (💙 listas) que garanta que nada ficou esquecido, por exemplo:

[  ] o guia de identidade visual da empresa foi observado e seguido (fontes, cores, estilo etc)

[  ] o texto apresenta relevo e hierarquia

[  ] as imagens utilizadas acrescentam informação ao texto

[  ] tenho os direito de uso das imagens

[  ] há coerência entre as imagens utilizadas

[  ] locução e legenda estão revisadas e sincronizadas

[  ] a navegação está clara

[  ] os hiperlinks estão funcionando

[  ] os objetivos de aprendizagem foram plenamente contemplados

[  ] a estrutura do curso está coerente

[  ] diferentes estilos de aprendizagem foram contemplados

[  ] as telas não estão carregadas de texto

[  ] sumário e glossário estão ok

[  ] os materiais de apoio seguem a mesma identidade visual do curso

[  ] as seguintes telas estão ok: introdução, ajuda, recapitulando, encerramento

[  ] a tradução respeita regionalismos

[  ] os exercícios apresentam feedbacks construtivos

[  ] a avaliação de conhecimento está de acordo com os objetivos do curso e seu conteúdo

Essas são algumas coisas que o DI precisa verificar no desenvolvimento do curso, mas você pode criar um checklist de acordo com suas necessidades.

Se precisar de ajuda, me chama 🤗

 

Como resultado dessa etapa, devemos ter o curso validado e pronto para fechar o pacote SCORM.

Pacote o quê?

SCORM (Sharable Content Object Reference Model) é um padrão de programação que permite que um curso seja lido em qualquer LMS.

E aí, o processo está claro para você até aqui?

Me conta aqui nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *