Tendências 2019, um outro olhar

Já estamos na metade do primeiro trimestre e você deve ter recebido um montão de e-mails falando sobre tendências em treinamento para 2019, não é mesmo?

Confesso a você que essas “previsões” me incomodam um pouco, isso por que, em geral, elas vêm acompanhadas de um tom quase profético (você vai usar!) ou até ameaçador (“se você ainda não usa essa tecnologia você está por fora!).

Gosto muito mais de tendência no sentido de “evolução de algo em determinado sentido”, e daí a coisa toda muda de figura, por que evoluir envolve passar por determinadas fases.

Tendências e-learning 2019

Então nunca vou dizer pra você:” você tem que usar game nessa estratégia!” se eu sei que você ainda nem sabe o que é um LMS… ou “a empresa que não usar realidade virtual está ultrapassada” se a dita cuja não tem uma cultura de e-learning minimamente estabelecida.

Uma tecnologia que está na “categoria” tendência não pode bastar-se em si, isso é o uso da tecnologia pela tecnologia, é vazio, tira o aluno do centro do processo de aprendizagem e coloca a tecnologia em destaque… vejo grandes chances de dar tudo errado, e você?

“Ah, Soani, mas eu quero usar o que há de mais moderno na minha empresa. Não pode?”

Pode! Deve! Mas esse é um caminho que precisa ser construído. Vai ser lindo quando você implementar um projeto ultrahightech, mas você precisa considerar alguns pontos:

– maturidade do público que vai ser treinado

Avalie a fluência digital dos funcionários, suas preferências e dificuldades, sua capacidade de lidar com determinada tecnologia ou ferramenta.

Por exemplo: você quer usar social learning, mas o pessoal está pronto para compartilhar experiências e não transformar essa experiência em um muro das lamentações?

– maturidade da empresa e sua gestão

A empresa também precisa se dispor a oferecer estrutura de acesso… chama o pessoal de TI pra ser seu amigo, o quanto antes!

– maturidade da equipe que vai cuidar do projeto

A equipe de treinamento precisa abraçar o projeto e acreditar nos benefícios, ainda que de início só se veja o trabalhão que vai dar…

– maturidade do fornecedor que vai te apoiar

Cuidado com fornecedores que vendem a tecnologia pela tecnologia apenas. Tenha parceiros que vão te apoiar para tomar as melhores decisões com relação a custo x benefício.

 

Se você leu até aqui, então eu entendo que você está nessa construção do caminho… fico muito feliz com isso!

Aqui estão algumas estratégias que podem fazer parte dessa construção de cultura de treinamento digital aí onde você está, de acordo com o seu momento:

– Mentoria

– Social learning

– Curadoria

– Inteligência Artificial

– Webinarios

 

Pretendo escrever sobre cada um deles por aqui e detalhar os prós e contras de cada um… por onde você quer começar?

Me diz aqui nos comentários 😉

4 Comentários


  1. Sobre curadoria, recentemente eu vinha participando de eventos patrocinados pela escola digital um projeto da natura e outros apoiadores.
    A minha reflexão me permite dizer que inicialmente deve-se ter pessoas com expertise para cada linha de ação e assim com propriedade desenvolver projetos coerentes e precisos.

    Responder

  2. Nossa quantas novidades!Estou nesse processo. Iniciei uma mentoria e foi a melhor coisa que fiz. Me preocupo com os próximos passos… A impressão que tenho é que chego sempre atrasada. Que bom vc tratar desse assunto.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *