Teorias de Aprendizagem no e-learning: para que serve mesmo?

Sabe, talvez a gente nunca tenha conversado sobre isso, mas eu tenho um compromisso de sinceridade com você. E isso inclui te dizer algumas verdades… no e-learning nem tudo são flores, talvez o que você mais goste seja elaborar estratégia, imaginar um curso bem diferentão, elaborar um roteiro incrível, talvez com árvore de decisão e tal… mas para que tudo isso aconteça – toda a parte legal! – você precisa saber defender sua proposta de solução… para o cliente não basta você dizer “você terá um curso super legal porque os alunos aprendem mais rápido coisas legais!”. Você vai precisar argumentar melhor que isso, então hoje a gente vai falar sobre Teorias de Aprendizagem da forma mais prática que você já viu.

O que são Teorias de Aprendizagem?

São modelos estruturados de forma a explicar como acontece o processo de aprendizagem, geralmente formulados por psicólogos ou pedagogos.

Não existe uma teoria certa ou errada, cada uma pode ser usada em função de algumas análises:

– quem vai ser treinado?

– como essas pessoas aprendem?

– qual a relação delas com esse conteúdo?

– quais os impactos dessa aprendizagem?

– o que os alunos já sabem sobre esse tema?

E tudo isso a gente entende lá no levantamento de necessidades de treinamento, certo?

Costumamos embasar nossa estratégia em uma dessas 3 teorias:

– Comportamentalista ou Behaviorista

– Construtivista

– Cognitivista

Teoria de Aprendizagem Comportamentalista

Se você já estudou sobre isso, provavelmente ficou na sua memória a experiência com ratinhos feita por Skinner (1904-1990). É comum que a gente não queria elaborar uma estratégia com base nessa teoria justamente por conta disso… já aconteceu com você? Confessa!😉

A base dessa teoria é que não dá para saber o que se passa na mente das pessoas, então só dá para saber se ela aprendeu se houver uma evidência baseada no comportamento, e isso se alcança por meio de repetições.

Se o seu treinamento pede que algo seja decorado, por exemplo, essa é a sua teoria-base. Imagine um curso cujo objetivo de aprendizagem seja algo como “identificar as principais teorias de aprendizagem aplicadas à aprendizagem on-line”.

E você poderia alcançar esse objetivo usando a estratégia de microlearning (um para cada teoria) oferecendo feedbacks claros e imediatos ao final de cada lição.

Teoria de Aprendizagem Construtivista

Os nomes por trás dessa teoria são Piaget (1896 – 1980) e Vygotsky (1896 – 1934) e defende que o conhecimento é construído (individualmente ou em grupo) a partir da exploração de novas ideias e das interpretações que surgem daí.

Então, por exemplo, um curso que tem como objetivo de aprendizagem algo como “elaborar roteiros de cursos on-line” pede compreensão de conceitos, de processos e de resultados, portanto essa é uma teoria que pode embasar sua estratégia.

Nesse caso é importante que o aluno seja desafiado a experimentar o que está aprendendo e seja avaliado, ou por meio de avaliação de pares (se a aprendizagem se der em grupo) ou por meio de auto-avaliação (se a aprendizagem for individual).

Isso poderia acontecer por meio de uma trilha de aprendizagem que envolve a disponibilização de e-learning, infográfico e quiz, por exemplo.

 Teoria de Aprendizagem Cognitivista

Nessa teoria, o aluno relaciona o que já sabe ao que está sendo apresentado e reorganiza suas ideias a partir daí, assimilando novas informações, confrontando com o que já sabe e estruturando novos conhecimentos.

Então imagine que sua demanda tem a ver com a formação de líderes, desde novos líderes a diretores seniores… provavelmente essa é a sua teoria e você poderia coloca-la em prática propondo aprendizagem baseada em projetos ou em problemas.

 

Essas são as teorias mais discutidas, espero que esse conteúdo facilite a argumentação das estratégias criadas por você.

Então, me conta, como você tem defendido suas ideias até aqui?

4 Comentários


  1. Excelente , aborda o assunto com clareza.
    Obrigada por compartilhar.
    Abraços

    Margarete

    Responder

  2. Gostei muito deste post! Me ajudou muito a entender a estratégia no momento de construção dos conteúdos.

    Responder

    1. Que bom saber disso, Pri!
      Você também pode sugerir temas que estejam aí nas suas inquietações 😉
      Bjs e obrigada por comentar

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *